A vasectomia não leva à impotência

Tiberios Kirk
Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes

O Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes é médico urologista, mestre e doutor na área. Além disso, é co-autor do livro Urologia Minimamente Invasiva. Desse modo, fala à nossa redação sobre um tema muito discutido, mas que ainda acarreta muitas dúvidas, a vasectomia. Confira o artigo e saiba mais sobre o assunto.

A vasectomia se configura em um método contraceptivo. O Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes ressalta que é uma das formas mais eficazes na prevenção da gravidez, tendo o percentual de eficácia em 99%. Desse modo, o procedimento tem se tornado cada vez mais comum.

Estima-se que a vasectomia sofreu um aumento de mais de 100% nos últimos 10 anos no Brasil e o estado que mais realizou cirurgias foi São Paulo. Desse modo, o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes explica que há inúmeros fatores que confluem para estes resultados, como a nova estrutura e planejamento familiar.

Além disso, o aumento também se deve a uma maior fonte de informação sobre o assunto. Antes, havia de forma errônea a disseminação e confluência entre impotência sexual e vasectomia, fatores que não são correlatos e que nada tem a ver, segundo o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes

O médico explica que não há interferência no desempenho sexual por conta do procedimento cirúrgico. O Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes está sempre disposto a oferecer o melhor atendimento para seus pacientes, por isso, explica de forma didática sobre os procedimentos urológicos em seu consultório, na Clínica Urológica Dr Marco Antônio, situada no Rio de Janeiro.

Como dito, a vasectomia de nada tem a ver com disfunção erétil, o procedimento consiste em bloquear a passagem dos espermatozóides até a uretra. Desse modo, o cirurgião corta os tubos deferentes que possuem o papel de conduzir os espermatozóides.

Leave a comment

Deixe um comentário